segunda-feira, 21 de junho de 2010

O Retorno

\o/ Estamos de volta! \o/  Tá, foi só uma semana, mas parece que faz um ano que isso aqui não é atualizado. Peço desculpas por mim e por minha amiga Briisa porque ela ficou sem internet e eu sem tempo algum semana passada e provavelmente não terei muito tempo sobrando nesta. Por isso vou fazer a maior quantidade possível de posts em duas horas. O.o
      Sem mais perdas de tempo. O livro de hoje faz parte dos nossos bons e velhos Clássicos da Literatura. Escrito por Eça de Queirós e publicado em 1878, O Primo Basílio é uma crítica à sociedade burguesa de Lisboa do século XIX. 
O livro conta a trajetória da família formada por Jorge, um bem-sucedido engenheiro e Luísa, uma moça romântica e sonhadora, recém casados e felizes até então. Existe um grupo de amigos que freqüenta o lar do casal; D. Felicidade, a beata que morre de amores pelo Conselheiro; Sebastião, amigo íntimo de Jorge; Conselheiro Acácio, o bem letrado; Ernestinho e as empregadas Joana – assanhada e namoradeira – e Juliana – revoltada, invejosa, despeitada e amarga, responsável pelo conflito do romance.
Ao mesmo tempo em que cultiva uma união formal e feliz com Jorge, Luísa ainda mantém amizade com uma antiga colega, Leopoldina mulher muito mal falada por suas contínuas traições. A felicidade e a segurança de Luísa passam a ser ameaçadas quando Jorge tende a viajar a trabalho para Alentejo. O tédio toma conta da moça até que ela descobre que seu primo Basílio está de volta a Portugal. Ele havia sido namorado de Luísa e o reencontro faz com que a moça se encante novamente pelo primo. Logo eles começam a ter um caso.
Entre um encontro e outro, eles passam a trocar cartas de amor, que acabam sendo interceptadas por Juliana, a empregada invejosa que passa a chantagear a patroa. Sempre mimada, Luísa passa a ser criada de Juliana que a maltrata tanto que Luísa adoece.
Quando Jorge volta não desconfia de nada porque Luísa tem se rendido a todos os caprichos de Juliana. A essa altura, Basílio vai a Paris resolver problemas nos negócios e Luísa o manda uma carta pedindo ajuda para acabar com a chantagem de Juliana. Luísa, porém, se arrepende da traição. Com a volta de seu marido ela percebe que cometera um erro e que realmente amava Jorge.
O que acontece depois você vai descobrir lendo O Primo Basílio porque não vou ser eu quem vai contar o final. Analisando bem o enredo, você nota que Eça de Queirós inova a literatura da época, fazendo algo diferente do Romantismo, criticando sarcasticamente os costumes da pequena burguesia de Lisboa. Ele faz isso atacando a instituição do casamento. Com personagens com pouquíssimas qualidades, situações dramáticas geradas a partir de sentimentos fúteis, casos amorosos com motivações vulgares e medíocres – tudo isso, ao mesmo tempo em que tece críticas, desperta o interesse da sociedade de Lisboa. Eça de Queirós explora o erotismo quando detalha a relação entre os amantes.
            O livro virou filme em 2008 com a direção de Daniel Filho e conta com Débora Falabella, Reynaldo Gianecchini, Fábio Assunção e Glória Pires no elenco. O tempo e o lugar no filme são diferentes do livro, mas a história é praticamente a mesma com apenas algumas adaptações. Eu ia colocar o trailer, mas não achei nenhum com uma qualidade mais ou menos. Fiquem com o cartaz do filme.

      
By: Taay

1 comentários:

Marcos Lessa disse...

Eu sempre quis ler Primo Basilio, mas nunca tive coragem. E logo no final do poste fiquei curiosos o que iria acontecer com Luísa????